sábado, 29 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO!

São meus sinceros votos a todos meus 
queridos amigos e seguidores.
Com todo o meu carinho,

Vivi dos Anjos

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Um natal feliz


Oi, queridos e queridas, um  muito feliz  natal, cheio ternura,
desejos, ideias novas. Um natal cheio de olhares de carinho,
de carinhos inocentes, ternos. Que nossas casas se iluminem
com  a luz divina da bondade, que  nossas famílias se façam
nosso mais belo e caro presente. Amigos, desejo  felicidade
a  todos  e não  só  para esse natal mas que ela se faça para
sempre. Que  a  mão  de  Deus acene abençoando todos os
lares, que as bençãos de Deus se façam da mais bela chuva
a cair sobre todos nós. Agradeço, sentindo-me honrada com
a visita de todos. Que Deus abençoe a todos. Um abraço e
um beijo do tamanho do mundo em cada um coração. Um
MUITO FELIZ NATAL.

São os votos de
Vivi dos Anjos




quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Vem como queiras


Dá-me tuas mãos entre meus seios, aperta forte...
Ou onde queiras, onde sabes que me dá prazer,
Dá-me teu corpo sobre o meu, vem sem pudor
Ama-me como se fosses um deus faminto de amor

Me cobre de caricias, de beijos, mata essa vontade
Tira de dentro de mim esse desejo, essa louca vontade
De ser possuída pela tua boca ávida, lambida, sugada
Num frenesi de convulsões de um alma, louca, alucinada

Vem. Que não sei o que é não, e nem sei o que é falar,
Sei gritar, gemer, uivar como fêmea perdida num cio
Sedenta de um gozo que seja extenso como é um rio

Que me leve nas nuvens, me leve lá pra dentro de mim
Junto contigo, num pulsar, num latejar de tanto prazer
Que as palavras gritem nos arranhões que vou te fazer


Vivi dos Anjos
19/12/2.012

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Sou livre. Livre




Quero ser sempre livre, sempre quis, e sou livre,
Deixo minha alma voar, inocente, em pensamentos puros,
Alçar vôos em horizontes distantes, coloridos e ternos.
Deixo que minha liberdade me tome toda...toda,
Da alma inocente, até à necessidade pecaminosa do corpo.
Me entrego como se viver fosse feito para todos os prazeres
Que cada parte de mim pode sentir. Sou livre...livre...
Livre até mesmo para fazer de mim, alma, mulher e fêmea,
Numa conjugação natural que muitas têm medo de sentir,
Sucumbem ante seus temores e não se entregam como fêmea,
Ficam apenas...mulher. Num corpo onde nada pode,
Por quase tudo ser pecado, como se alma também não gozasse.
Grito minha liberdade, por ser livre, meu mundo é liberto.
Meu primeiro universo sou eu, livre como a própria liberdade.
Não tenho medo de mandar ou de pedir, de ousar ou esperar.
Não tenho medo de dizer: Quero mais. Sou muito mais...
Sou muito mais fêmea se minha alma geme comigo.
Sou muito mais mulher se minha alma grita comigo
Sou muito mais corpo se minha alma sente comigo
Sou muito mais esposa ou mãe se minha alma ama comigo.
Sou livre para sentir e ir até onde possa a alma ir,
Até onde possa o corpo sentir, até onde possa ir meu prazer
Antes do cansaço chegar, e me deitar de conchinha...
Esperando ansiosa que ainda assim possa continuar.
É apenas uma questão de tudo se acomodar.
Sou livre sim. Livre como são livres meus pensamentos...
E as minhas vontades de prazer. Até pra gritar...
Quando gozo... sou livre, sim.


Vivi dos Anjos
28/07/2.012






quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Brincando de fazer amor


Vem, vamos brincar de fazer amor!
Primeiro me olha com aquele olhar de convite,
Aquele olhar indecente, malicioso, sem pudor...
Me desnuda, me excita com ele.
Aí, te digo sim com um olhar devasso,
Com aquele olhar que diz que tudo pode
Como um sorriso malicioso mordendo os lábios,
Umedecendo-os com a língua, brincando de passear
De um ao outro lado da boca.
Te aproxima agora, passa as mãos em mim,
Começa pelos meus seios, desce, desce mais,
Me roço em ti. Agora me beija os seios.
Passo as mãos em teu corpo, te mordo,
Agora senta, olha como vou tirar a roupa,
Bem lentamente, tiro o short, a blusa,
Te olho com um olhar de vontade, de desejo
Tua ansiedade salta por entre tuas pernas,
Vou tirar a calcinha, por que não vens tirar?
Te levanto, tiro tua camisa, mordo teu peito,
Arranco toda tua roupa, te empurro suave,
Te sento na cadeira, é aqui mesmo na cozinha...
Cavalgo em cima de ti como louca,
Tudo fica colorido, uma emoção me toma,
Te sinto comigo no momento mais intenso
E vem, vem o êxtase de uma explosão
Que domina e faz tremer o corpo,
Repouso em cima de ti, te sinto relaxado, gostoso,
Não quero sair nem tirar, deixa como está,
Começamos outra vez, aqui mesmo na cozinha...
Depois... depois vamos almoçar fora.


José João
15/11/2.012





sábado, 3 de novembro de 2012

O blog ganhou dois mimos...











Minha querida e talentosa amiga poetisa NÁDIA SANTOS,
muito generosa, presenteou meu blog com estes selos, os quais
me deixou surpresa e feliz. Obrigada minha amiga. Visitem o
blog dela, GRITOS DA ALMA, tem lindas poesias.
Link da Nádia: http://poesiasesonetos.blogspot.com.br/
Quebrarei o protocolo e não indicarei ninguém, ofereço a todos
meus seguidores, quem quiser os selinho por favor levem, pois
todos vcs merecem,

Um beijo carinhoso a todos em especial para minha amiga
Nádia Santos.




segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Como você quiser


...E por falar em amor, te quero na cama, devasso,
Indecente, com pensamentos pecaminosos, mas de alma
Pura, limpa, inocentemente indecente pensando
Apenas em prazer, em fazer, em dar, tomar e sentir.
Por falar em vontade, te quero nu, de corpo e alma,
Espirito pronto para gritar quando explodir um gozo
Que faça o mundo girar, a chão nos faltar, kkkk
Que a vizinha se espante e curiosa pergunte depois.
Mas...pra mim.
...E por falar em prazer, é preciso falar que quero tudo?
Tudo como só tu sabes e tem, como só tu sabes e pode.
Hoje e amanhã não vou sair, posso ficar até mais cansada,
Mais doída, por que  hoje quero ser tudo. Malabarista,
Contorcionista, trapezista, até. Ah! Querido a cama é forte.
Quero subir no mundo, e até acho, essa parede não é tão lisa
Hoje é mais que ontem, isso eu sei, menos que amanhã
Também disso eu sei, mas somos inteligentes, não somos?
Somos até inventores, Kama Suntra, kkkkkkk que inocente?
Sonhei todas as posições nos sonhos mais devassos e ...
Percebi... ainda faltam tantas! Que mundo é esse o do prazer!
Sempre pronto a presentear os ousados e dar-lhes mais.
Vem amor, o que foi, cansou?
- Não amor, estava apenas pensando, com você pode-se tudo.
- Você sabe que sim.
- Será que plantando bananeira dá?
- Não sei, mas veja, quem sabe o visual te...


Vivi dos Anjos
29/10/2.012






segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Mulheres, somos poderosas


Amor ardente, paixão louca, esse fogo incontido,
Essa vontade de ser possuída, de possuir, tomar,
Ser tomada, dominar, ser dominada, gritar de prazer
Sem se importar com quem está lá fora, essa loucura
Me excita, me deixa tomada de desejo,  me deixa gulosa
De todas as vontades das mais inocentes até todas...
Desde as impensáveis até à mais pecaminosa.
Viver todos esses momentos de prazer, paixão e loucura
Ser mulher, ser inocente, ser indecente, ser desejo,
Ser desejada, se entregar, se deixar profanar, dar tudo,
Afinal  não é o corpo o maior santuário do desejo?
Com ele até alma se entrega gemendo orações profanas.
Aí me dizem mundana, quem sabe até de herege?
Posso até ser, e comigo é quem também grita:
Ai meu deus, quero mais, mais ... meu deus que gostoso...
Será que só eu faço assim? Se for... viva sou eu
Mas não tenho a pretensão de ser única a sentir
Tanto prazer, tanto gozo, que toma todos os sentidos
Mulheres não sejam reprimidas, gritem, gozem...
Gemam gostoso, façam seus homens ficarem crianças
Perdidas entre seus desejos suas vontades devassas,
Indecentes, a dois tudo pode, tudo é vida
E quando mais ardente for seus momentos,
Melhor é a vida. Sejam  a mulher, mas aquela mulher
Que no café teu homem sinta vergonha, te olhe de soslaio
E entre surpreso e indeciso te confesse baixinho:
Acho que tenho que ir para a academia.


Vivi dos Anjos
22/10/2012

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Licor de amor


Licor de amor, tu queres? Vem! Sabes onde buscar.
Vem, anda. Passeia entre minhas coxas
Me suga, não queres o licor do amor? É todo teu.
Estou te dando a flor aberta, desperta, pura, crua e nua
Com todo o nectar, guardado como vinho a ser degustado
Entre sussurros, beijos, estalar de uma língua ousada,
Sequiosa com sede de embriagar-se de licor, de amor
De licor de amor a fazer-se manjar de um deus. Tu!
Que me tomas como uma inocente devassa
A ser possuída sem segredos, sem medos e sem pudor,
Com aquele jeito de tomar sem pedir, de macho
A dominar a fêmea que dadivosa se entrega toda
Como se todos os momentos fossem gotas de vida
A serem vividas intensamente como se todo o sempre
Fosse hoje. Vem. Suga gota a gota esse licor,
Não deixa uma só gota cair perdida no lençol,
Cada uma delas é um prazer, uma loucura diferente,
Que até parece a própria alma no cio.
De que tem gosto o licor de amor?
De mulher? De fêmea? De mel? De uma flor?
Não sei. Sei que vejo estrelinhas voando,
Pássaros cantando, em plena noite o sol me ofuscando,
Ah! Que doce loucura esse licor de amor...
Que bom que sabemos sorve-lo juntos...simultaneamente
Simultam... não, não é poético...
Mas que é maravilhoso...ah! Isso é.


Vivi dos Anjos
18/10/2.012










Brincando de amar


Noite... e nós na areia cobertos de luar
Sonhando sonhos lindos, ternos, de amor
Ouvindo do mar o canto, gracioso trovador

Ondas a beijarem, meigas, os nossos pés
Que a brisa carinhosa em volteios enxugava
E a areia, humilde, ternamente os beijava

E a noite? A soltar-se em seus mistérios!
Se fazia quadro sem moldura a mostrar
A silhueta de um casal brincando de amar

Tudo tão belo, e eu a ti, toda a me entregar
Nua, assim como a noite que brincava de luar
Maliciosa, ardente, fazendo amor com o mar.


Vivi dos Anjos
18/10/2.012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Depravada? Não. Amante


Eu, depravada?! Nunca. Sou senhora
Como são tantas outras... apenas não tenho medo
De ser vadia, prostituta, devassa, despudorada...
Na cama, com meu marido, na verdade, macho,
O marido ficou na sala, na frente dos filhos,
Até minha sogra desconfia que sou indecente.
E sou. Gosto de ser possuída. Como?!
Você tem boa imaginação? É criativa? É? Ótimo.
Ah! Querida mas com certeza, nem chegou perto.
Grito, pulo, sou dominada, domino, canto, choro,
Sou fera uivando ao prazer de uma entrega,
Louca, sem tino, rsrsr se depois doer... Passa.
Não sei não ser toda, não ter tudo, não dar tudo.
Não sei ser metade, ter um pouco.E por ter mais...
Sempre quero mais, muito, mas muito mais.
Numa noite ardente de entrega total e plena,
Começo esposa, mas depois que tudo ascende,
Gozo como vadia, depois como prostituta... como
Devassa, como despudorada. E depois... cansada...
Paro...deito de conchinha, mas... o que é isso?
Que loucura, tem alguma coisa provocando e...
... Começa tudo outra vez. Sou assim. Depravada?!!
Não! Apenas amante do prazer, esse prazer
Que muitos não dão, e muitas têm medo de sentir.


Vivi dos Anjos
27/09/2.012


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Minha nudez, tua liberdade


Minha nudez é a liberdade te gritando: Me possui.
É um grito para que libertes todos os teu sentidos e...
Me possua, toda pecado, toda mulher, toda tua.
Corre sobre meu corpo nu, te deleita, te delicia,
Não me faz agora de esposa, me faz de tua vadia.
Vem buscar em mim o prazer que meu corpo quente
Dadivoso pode te dar, por desejo e, por ti, tão carente
Caminha entre meus seios, entre minhas coxas,
Procura meu gosto, estou aberta aos teus deliciosos,
Ousados e maravilhosos abusos, e ao sabor de teu uso.
Me usa sem pudor, que eu te uso pelo prazer de sentir
Teu gozo, nosso gozo, no tremor de nossas almas
Que antes tão inocentes, hoje ao gozo se entregam
"Pecando" em gritos devassos e indecentes.
Me usa, toda tua, toda devassa, indecente e nua
De qualquer pudor. Queres que me deite?
Que me sente? Que fique em pé? De joelhos?
Na altura de teus mais incontidos desejos? kkk
Fico, e ainda te olho nos olhos para te ver tremendo,
Urrando, gritando, puxando meus cabelos e...engraçado
Me chamando de meu amor e como criança
Me pedindo que não pare, que faça mais, e faço.
Depois, como dois animais que se cheiram,
Que se lambem, que cruzam num violento cio,
Suados, abraçados, ofegantes, gritamos juntos
Nossa liberdade de entrega no gozo do corpo,
E da alma, de um macho, de uma fêmea...
Tua esposa mais tarde, tua vadia agora.


Vivi dos Anjos
11/09/2.012








sábado, 8 de setembro de 2012

Não sei como vou te esperar


Não sei. Não sei como hoje vou te esperar.
Se como uma mulher apaixonada,
(Como realmente sou) te esperando no portão
Ansiosa por um beijo doce, terno, de amor
Que ponhas o braço em volta de mim
E em risos entremos em casa, te busco um drinque,
Sentamos no sofá e me contas do teu dia.
Ou se como esposa, sentada no sofá, ansiosa...
Querendo que chegues logo, quando entrares
Te recebo com um olhar brilhante, um beijo cálido,
Um terno abraço, tiro suavemente teu paletó
Desaperto tua gravata, sentamos no sofá,
Te deito em meu colo, afago teus cabelos
Com a ternura de uma esposa apaixonada
E assim  faço que te sintas bem em meus braços,
Com o prazer de estar em casa com tua esposa.
Ou não sei se te espero na cama...
Como uma mulher apaixonada, como uma esposa
Louca de amor, ou mesmo como uma vadia sedenta
De ti, deitada comodamente nua a tua espera,
Ansiosa em ouvir a chave na porta, em sentir
Teu cheiro de macho ao chegar na sala,
Me excitando, me desmanchando em vontade,
Me acendendo o fogo vulcânico da paixão,
Do desejo pecaminoso, da fêmea sedenta,
Sequiosa, devassa, dadivosa e sem limites.
Em êxtase, num frenesi incontido, no tremor
De todo o corpo ardente de desejos,
Te arrancar camisa, gravata, calça.
Gritando de te apresses que o primeiro gozo
Está chegando, tão grande é minha vontade de ti,
E tu, dominante e cativo  me satisfaz e...
Choro, e grito, e me contorço em espasmos
Divinos, celestiais em que estrelas dançam
Em minha frente, que pássaros gorjeiam
Canções angelicais, e teu suor molhando
Meu corpo me faz querer mais, e mais...
Não resisto a esse diluvio, a  essa enxurrada
De desejos que me tomam, quase desmaio,
Mas sinto toda tua força no tomar de meu corpo
E grito, como se estivesse tomada, de repente,
Por um prazer tão forte que naquele momento
O tempo pára para nós dois, já é noite. Noite?
Está bem, ela também foi feita para isso...
E continuamos até o cansaço chegar,
Talvez, quem sabe, lá pela  madrugada.


Vivi dos Anjos
08/09/2.012




sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Vem. A porta está fechada e...


Não. Não estou carente, nem poderia estar,
Mas estou dadivosa, com vontade, como se diz.
Vontade de ser possuída, de dominar, de mandar,
De ser dominada, de ser mandada, de gritar
Grunhir como fera no cio, entre os espasmos
De um corpo que se entrega  buscando o prazer.
De uma alma que ri da castidade e do pudor.
Inocente peca pelos desejos, pelas vontades,
Pelos pensamentos pecaminosos e incontidos
Quando ele chega e me abraça, me beija a boca,
Me lambe o ventre, num frenesi malicioso e alucinado
Como se quisesse buscar minha alma lá de dentro de mim
E trazê-la nua, ofegante e aos gritos de quero mais
E fazê-la ir no infinito de uma entrega bem maior,
Onde dois corpos e duas almas se fundem
Num sentimento onde só mesmo um momento,
De entrega plena, pode mostrar ao mundo
Por que um homem e uma mulher são tão perfeitos
Quando é preciso mostrar a perfeição do côncavo,
Do convexo, do gozo, da entrega, da fêmea, do macho
Dos gritos, do suor,  das coxas entre coxas,
De grutas macias, lambuzadas, com cheiro de...
De amor, de pecado, dos mais inocentes pecados,
Das bocas, das línguas, dos ... sou tua me faz gozar...
Isso assim, mais, mais... Se eu gritar, deixa
Afinal, todos sabem o que faz um homem e uma mulher
Que se amam, que se querem, que se gostam,
E ... que sabem como fazer... que sabem
Como fazer a alma viver. Vem, não te importes,
A porta está fechada e a cama é...bem forte,


Vivi dos Anjos
07/09/2.012






terça-feira, 28 de agosto de 2012

Ser mulher ... é ser mais



Nunca fui, não sou e acho nunca serei triste,
Sou carente, mesmo saciada. Saciada!!!??
Dessa vontade louca de fazer, de buscar
Os limites do corpo numa entrega indecente,
Sem limites onde ninguém nunca chegou.
Ser mulher ou apenas corpo, fogoso, dadivoso,
Encontrando um prazer maior entre os tantos prazeres
Já sentidos, já vividos, gritados, gemidos, uivados.
Passar por sobre os limites sem medos e sem temores,
Fazer da alma apenas uma cúmplice para gemer
Prazeres e deixa-la mais humana, mais mulher,
Mais eu. A louca, a  carente por ser ser insaciável 
Quando a entrega é sem pudor, e a inocência
Se esconde curiosa para não se sentir pecadora,
Nunca fui, não sou e acho nunca serei triste,
Mas serei sempre devassa, amante sem pudor
Buscando além da sublimação de um gozo.
Ir buscar a essência da alma numa entrega
Do corpo à infinitude do prazer nunca sentido.
Sou apenas uma mulher que quer viver, sentir
Sem falsidades o prazer que o corpo pode dar
E que a alma pode sentir, que ela goze também.
Ah! Ser mulher é ser senhora, mãe, esposa...
É saber a hora para ser tudo ser até... uma vadia.


Vivi dos Anjos
28/08/2.012





segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Corpo, coração e alma


Como alma sou leve, inocente, doce e pura,
Sou até poesia a voltear entres tantos sonhos
Que se fazem doce verdade em ternos beijos
Como criança inocente... sem nenhum desejo

Como alma sou doce vento a correr o campo
Levando ao mundo terno perfume de alvos lírios
A se fazerem poesias no pensamento dos amantes
E dar aos olhos o ofuscante brilho dos diamantes

Como coração sou o pulsar forte, sou até instinto
A guiar-me ao som do mundo buscando sonhos
Que se façam verdades puras de momentos vivos
A mim me entrego toda, sem medo, a esse amor cativo

Como corpo sou explosão de um desejo ardente
Sou, pecado, sou mulher que se entrega a um macho
Sem pudor, ser reservas, buscando o maior prazer
Gozando, gritando que assim a vida lhe faz viver

Como corpo sou eternamente uma mulher carente
Que na cama, se entrega,  sem saber o que é pudor
Se faz fêmea em grunhidos de fêmea em pleno cio
Desde que essa entrega seja repleta de muito amor


Vivi dos Anjos
20/08/2.012



domingo, 19 de agosto de 2012

Nada é pecado


Hoje quero pecar com toda força da alma ...
E desejo do corpo. Numa entrega total e completa.
Sem receios, sem medo, sem pudor. Quero tudo.
Quero ser fera, ser fêmea ser posse, ser possuída,
Hoje quero pecar, se é que amar loucamente,
Intensamente, se entregar para tudo, é pecar!
Se entregar para TUDO, como me queiras,
Onde me queiras, o que tu queiras, não pede, toma.
Amor não te preocupes com as manias e manhas
Aquele sussurrinho dengoso, manhoso, é de prazer
As vezes aquela dorzinha marota excita, faz gritar
Um prazer diferente, de prostituta, de esposa, de gente.
Faz... essa dorzinha é incoerente, é gostosa, é diferente.
Me toma amor, me toma toda, tudo é permitido,
Tudo entre homem e mulher que se amam faz sentido.
Nada é pecado, é divino o corpo se contorcer
Num prazer irracional, belo e incontido, 
Nada é pecado, se sentes meu gosto de fêmea,
Se sinto teu gosto de macho, se me debruças
Nada é pecado, e nunca poderia ser.
Amor me fazes ouvir o riso inocente dos anjos,
Me fazes ouvir suas harpas tocando os arcanjos,
Me fazes ver estrelinhas azuis a brincar no universo,
Me faz que ouça hinos celestes cantados em versos.
Me fazer ver segredos divinos ainda nunca mostrados
Então, como amor, essa entrega pode ser pecado?
Vem me faz como queiras, por cima, de costa,
Na cama deitado, sentado, em pé ou de lado. 
Vem. Faz, como já sabemos ... nada é pecado


Vivi dos Anjos
19/08/2.012



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Hoje quero gritar


... Me toma como tua, como mulher devassa e nua
Me satisfaz como bem sabes, mas hoje... hoje...
Quero gritar, explodir, deixar esse fogo que me queima
Sair aos berros, aos gritos, não vou reprimir essa explosão
Dos desejos, do prazer que me dás quando fazes...
O que fazes tão bem. Quero gritar... gritar como louca
Esse tremor que me toma, que vai do corpo á alma.
Não importa o que digam lá fora. Se sou devassa,
Prostituta. Não importa, mas hoje quero gritar
Esse gozo como se fosse um grito de liberdade
Do corpo que vai do mais profundo de mim
Até aos ouvido divinos de quem mandou multiplicar.
Assim posso gritar por não ser pecado
Assim posso gritar mais alto, mais forte, posso até...
Mandar que me possuas como queiras, não só assim,
Como tua esposa, faz tudo, faz. Sou mulher... mulher.
Toma meu gosto da boca ao ventre, é loucura,
É gostoso, é divino, me suga, anda, me suga
Como se fosses um beija-flor faminto de nectar
E eu tua flor, dadivosa por tão carente.
Isso, assim, mais... agora vou... gritar não vou repimir
Esse tão divino momento. Que tampem os ouvidos
Lá fora, por que agora estou...ESTOU ... ESTOU
Ai amorrrrrrrrrr.


Vivi dos Anjos
15/08/2.012

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Tua dona, tua posse, tua dama


Vem te deita em meu colo, assim como macho.
Mexe comigo, sem pudor, em delírio. Faz...
Me toca como se eu fosse prostituta, vadia.
Diz palavras indecentes, como se fossem gotas
Do desejo mais pecaminoso e ardente.
Estamos só nós três. Eu, você e esse desejo...
Incontido que me queima as entranhas até a alma.
Hoje não quero ser tua esposa ingenua e doce,
Quero ser tua mulher devassa e louca, indecente,
Como mistura de fera no cio e mulher carente,
Assim como tua nudez sempre me deixa.
Me toma nos braços, me toma em abraços
Cada vez mais fortes, mais desejosos de mim.
Me faz ficar menina inocente, mulher sem pudor,
Me lambe o corpo me abrasa em calor,
Esse mormaço de vontade, esse riso de castidade
Tão indecente que o beijo mais inocente
Aquele que causa rubor, me foi dado entre as pernas,
Entre as coxas, como se fosse para abrir uma flor.
Esse teu corpo suado em meu corpo desejoso de te
Me enlouquece, me toma o tempo, os sentidos
Me faz gritar coisas devassas, até a alma grita em
Gemidos como se fosse comigo tua prostituta divina.
Vem, me abre, me chama, me deita na cama
E me faz sentir o prazer de prostituta sendo...
Tua mulher, tua dona, tua posse, tua dama.


Vivi dos Anjos
14/08/2.012



sábado, 14 de julho de 2012

Um dia é pouco

Sinto meu corpo flamejar ávido na presença do teu,
Me derramo em gotas ardentes como gritos de desejos,
Súplicas carentes de uma vontade louca e indecente
Que me toma, que me arde, do íntimo até a alma.
Enlouqueço ao te ver me despir com os olhos,
Naquela vontade de animal no cio, de macho que deseja
A fêmea como posse absoluta. Não resisto, me dispo
De todo pudor, de toda inocência e nua me entrego toda
A tudo e a todo os desejos e vontades ardentes.
Sinto meu corpo de fêmea tremer alucinado, 
Minha alma se derrama em gritos e meu corpo
Em gotas carentes que me correm do céu como gotas
De chuva dadivosa ao se dar ao mundo. Vem logo.
Me toma, me possui, não como se fosse tua mulher,
Isso sabes que sou. Mas como tua vadia, tua puta,
Indecente, despudorada, carente de indecências
Loucas, profanas. Me possui com força, com amor
E raiva, faz que dor seja prazer de ser possuída.
Vem meu macho, vem como se fosses um deus
Profanando uma virgem pecadora que toda
Se entrega ao prazer da carne... gozando com a alma
Vem. Toma. Bebe. Possui. E me deixa saciada...
Se em apenas um dia conseguires...


Vitória dos Anjos
14/07/2.012

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Como te amo



Se eu apenas disser que te amo. Não basta
Quero que  sintas em mim, dentro de mim,
O que é todo esse amor.
Toma-me como seu eu fosse teu céu,
Teu luar, teu maior desejo ou prazer.
Me toma. Que te amo meu amor
Se me quiseres como bem quiseres
Vais me ouvir, gemer louca de prazer
Gritar em gemidos tímidos a emoção
De ser tua, toda tua, toda nua, toda canção.
Vem me possui agora, grita, como eu grito
Ninguém ouve, não tem ninguém lá fora.
Vem passeia em meu corpo e sente
O tremer do desejo me fazendo tua mulher
Aiii, amor se gemes em meu ouvido, fico louca,
Louca, como se tudo não fosse tanto,
Como se a verdade de agora fosse sonho.
Vem amor, me toma toda, sou tua.
Ai, querido, me suga, me lambe  me faz
Tua mulher, teu sol, tuas estrelas me faz...
Agora teu mais puro e maior prazer.
Te amo, meu amor, te amo mas só dizer
Não basta. Me possui. toda...toda....toda


Vitória dos Anjos

terça-feira, 26 de junho de 2012

Vem, me...


Hoje não quero palavras, nem silêncio
Quero sussurros, gemidos, gritos da alma
Que se escuta sem se ouvir, apenas sentindo
Dentro do peito, dentro da gente, dentro do ventre.
Hoje quero pecar sem sentir medo, quero te usar,
Ser usada, sentir e ser sentida, como corpo,
Como prazer, como alma e até como vida.
Quero sentir teu cheiro de macho no cio
Com animal sedento, carinhosamente violento,
Me profanando toda, até os pensamentos.
Me toma, vem como se fosses águia
Em busca da caça, como se fosses o rio
Buscando o mar. Sabes que sou toda tua
Te espero da alma até onde queiras,
Toda ardente, indecente, toda pura, toda tua
Vem sobe em mim estou com cheiro de cio
Me chupa, me morde, me toma, me come,
Quase já não aguento, vou ser indecente.
Muito indecente, vem logo, se não vens, grito
É o que queres? Te excita? Me come seu...
Não vês que estou louca de tesão? Molhada
Como se o suor me viesse desse céu,
Que tanto gostas. Vem. Me come ... seu...


Vitória dos Anjos
26/06/2012

sábado, 2 de junho de 2012

Meu macho...tua fêmea


Se é desejo ou loucura, não sei, que importa saber
Só sei que a vontade é tanta, te amo, te quero
Me entrego, deixo que faças o que quiseres fazer
Se sou fêmea, se sou fera, uma prostituta qualquer
Pra mim não importa, me rolo em teu corpo
De homem, de macho, sou tua mulher.
Se quiseres te espero já nua, deitada na cama,
Sentado no chão, na cadeira, na poltrona,
Tudo pra nós é tão natural. Te rasgo, te chupo,
Te arranho, te mordo gostoso, sei o que queres
Me entrego e tu fazes tua mulher de devassa
Me insulta, me lambuza, me lambe, me gusta
Com sofreguidão, com loucura e paixão,
Me carrega, me abre,me suga, me toma,
Na mais inocente indecência sem nenhum pudor,
Me empurra, me deita na cama, me chupa a mama,
Me toca entre as coxas, se deita por cima,
Por baixo, até com o dente me rasga a calcinha
Me deixa louca até de conchinha,
Me levas às nuvens quando sinto a explosão
Desse momento que nos faz mais,muito mais
Que marido e mulher, faz de nós dois
Uma alma apenas que sabe o que quer.


Vivi dos Anjos

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Nem sou dama...nem mundana


Não quero parecer mundana, nem sensível dama
Quero ser apenas mulher, fora e também na cama
Não quero ser aquela que vê pecado em tudo
Mas quero meu corpo gritando ardente, não mudo

Não quero ser profana, mas beata também não
Não sou mulher inocente que não aprendeu a viver
Sou a entrega da fêmea que geme, que chora e vai
Sem medo sabendo sentir, do momento, o prazer

Não sei ser pudica escondendo vontades por medo
Do que pensam, do que não vêm, ainda assim vão dizer
Não quero ser minha própria juíza me dizendo não
Me deixo seguir, guiar, viver pelas coisas do coração

Não vou amputar meus desejos da alma, nem do corpo
Matando a vontade por apenas vergonha ou pudor
Não sou como aquelas que matam seus tantos desejos
Em sonhos perdidos na hora mais nobre. Na hora do amor


Vivi dos Anjos








quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tua boca divina


Louca, é como me deixas, me fazes ficar,
Se me sussurras as tantas vontades nos momentos
Intensos e mágicos, quando me beijas a nuca,
E tuas mãos, ávidas,  procurando os caminhos
Que ti levem pra onde o prazer pode explodir
Num instante de tanta violenta ternura e prazer.
Louca, é como me deixas, me fazes ficar,
Quando chupas meus seios e tua língua divina
Brincando de ter, entumecem os mamilos
Como botões que ainda verdes querem crescer
E tua boca de anjo, de homem, de macho
Chupando, sugando como se fossem frutas maduras
Me fazem pedir, chorar , gritar palavras indecentes
Que não se aprende em lugar nenhum, só com o fazer.
Louca, é como me deixas, me fazes ficar,
Quando dos seios, lentamente, sem pressa nenhuma
Percorres meu corpo docemente molhando o caminho
E tuas mãos, ainda em mim, brincando de descobrir,
De preparar, de fazer o néctar do desejo fluir,
Quando tua boca, então chega onde tuas mãos
Já não fazem mais sentido ficar. Aí então sinto
O corpo arder, tremer, suar,  pedir sem pudor
Que essa língua me invada, me procure a alma
Que só pra ti, ali eu perdi, então me deixo ficar
Como cadela vadia, no cio, esperando um gozo
Prazeroso e divino gritando alto com a alma solta
Que maravilhosa, amor, é essa tua boca!


Vitória dos Anjos





segunda-feira, 21 de maio de 2012

Só mesmo tu para...


Tu és o que ainda hoje não sei,
Se és meu mal, ou se és meu bem
Mas és o que há muito eu sei
Único... como tu... como ninguém

Por vezes és a calmaria da solidão
Outras, me és a chama da tentação
As vezes és o espaço que absorve e induz
Outras vezes a sombra a apagar-se na luz

Se és apenas e simplesmente um homem
Como tão fácil modificas o tempo?
Se estás perto o fazes rápido como o vento
Se longe estás o fazes de cansado e lento...

Nevoeiro sombrio essa nossa distância
Mas não se perdem os nossos caminhos
Em passos marcados, em pedras que sejam
Escritas que estão por nossos destinos

Se pra mim és um bem, ou que sejas o mal
És fogo ardente, sublime calor natural
Vulcão trepidante em tantas lavas ardentes
Como rio caudaloso de muitas vertentes

Mas se és fogo, de tanto frio me aqueces
Se és rio, para o meu prazer me banhas o corpo
Como macho me deixas excitada e tremendo
Se és água ou fogo, como louca,me deixas gemendo


Vivi dos Anjos


terça-feira, 8 de maio de 2012

Eu? Sou assim...



Eu? Sou menina, sou mulher, inocente e pura
Sonho com amores distantes, príncipes encantados
Ser carregada no colo, ser acordada com um beijo
Recebendo flores, ser até um doce e terno desejo

Eu? Sou mãe, mãe até de fazer algumas vontades
Brincar de cantar, brincar de brincar, correr no quintal
Sou mãe, de contar historinhas, comprar figurinhas
De ir pra cozinha, sou mãe até de andar de avental

Eu? Sou esposa que ajuda, anda do lado, que luta
Que corre entre as horas para fazer tudo acontecer
Aquela que se preocupa, que nada pode esquecer

Eu? Sou mulher que aquece com cheiro de fêmea
Sou puta, sou prostituta, na cama nada deixo perdido
Sou assim. Gozo, por que tudo no prazer é permitido


Vivi dos Anjos




Corpo, alma e prazer


Andar sobre meus medos de alma virgem
Como se o pecado não pudesse ser perdoado
Como se as orações não dissessem pra gente
Pecado é nem tentar a prole ter multiplicado

Tento, grito tentando, gozo tentando, fazendo
Tentar! Não é pecado, é fazer de outro jeito
É ser tudo, sonhos, desejos, mulher e até...
Quando se quer realmente, por tudo se luta

Ser inocente,  ser incoerente, ser indecente
Na cama? Ortodoxo mas é apenas ser coerente
Na conjugação mais natural de alma e gente

Como se a alma gritasse de vontade incontida
Como se o corpo de si se fizesse essência da vida
Como se as duas pagassem ao prazer toda uma dívida


Vivi dos Anjos



Meu inocente pecado


Hoje quero enganar o mundo, sorrindo
Brincando de beijar, de sonhar, de ser
Aquela mulher que com a alma grita
Vontades loucas, cruas  por tão aflita

Hoje não quero ser razão, talvez loucura
Uma loucura que se perde na inconsciência
Que grita de gozo inocentes blasfêmias
Ao sentir-se pecadora, sentir-se fêmea

Hoje quero gritar palavras indecentes
Gritar minhas vontades sem demagogia
Deixar nas beatas suas faces rubras
E sentir até na alma o gosto de uma orgia

Sem me importar com sussurros ou gemidos,
Com gritos de macho ou gritos de fera
Sem saber quem domina, quem é dominado
Quero só fazer de inocente o mais indecente pecado




quinta-feira, 26 de abril de 2012

Assim como céu e mar


Beija-me como se fosse o beijo de amanhã
Maior que todos os que me deste até aqui
Que ti darei o amor que ti daria muito além
De qualquer tempo, até além do que vivi

Beija-me como se eu fosse um teu brinquedo
Aquele que nunca cansaste de brincar, de amar
Toma-me como se eu fosse todo aquele tempo
Que brinca contigo, brincando de não passar

Deixa que me acomode dentro do teu pensar
Vou ficar bem quietinha prometo não incomodar
E só vou chegar em teus olhos na hora de ti amar

Deixa que a tua e a minha alma possam se conjugar
Num sentimento mais perfeito que se possa imaginar
Deixa que elas se completem assim como céu e mar.


Ser tua morada


Vem, me toma, entra em meu coração e faz morada
Deixa que ele pulse sempre ao sabor de teu desejo
Assim me farás, de minha alma, doce alma desejada
A solver sofrega dos teus lábios a ternura de teu beijo

Vem, anda, entra em mim, faz cada momento infinito
Deixa que adormeça, como criança, em teus sonhos
E faz-me ser, de teus sonhos, a verdade mais bonita
Que em teu colo me farei ser a amante mais contrita

Vem, entra em mim, sem que eu peça, sem que mande
Entra sem licença, ti apossa, faz-me agora toda, toda tua
Que pra ti estarão, corpo e alma, a tua espera e toda nua

Não ti apresses, mas vem, sem pressa, mas chega logo
Não deixe rastros no caminho para que não saibas voltar
Afinal não é em mim que prometeste por toda vida morar?

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Palavras como pedras

Buscar, lá dentro da alma, palavras que digam
O que, na alma está, entre dores, guardado
Palavras fortes, como punhais, ou como espadas,
Como pedras pontiagudas a serem atiradas

Palavras fortes que ti firam, que te machuquem,
Que te marquem com profundas cicatrizes,
Palavras pesadas como pedras, frias como setas
Que te firam desde tua alma até tuas raízes

Palavras, onde estão elas? As palavras como lança,
Como flechas, dardos ligeiros que te firam a carne
Que se enterrem em tua alma onde só a dor alcança

Palavras pesadas, duras como ferro, frias como aço
Onde etão essas palavras? Que com ódio teu nome chamo?
(Lágrimas) onde estão? Se quando as grito só digo: Te amo.

Vivi dos Anjos

terça-feira, 3 de abril de 2012

Amar, amar e... amar



Hoje quis fazer uma poesia alegre falando de amor
Não desse amor que tantos falam, sem saber
Que falar de amor não é falar, é sentir na alma
A doçura morna de um cálido e divino desfalecer

É ouvir palavras com perfume de encantos e sentir
Um tremor nas mãos como se elas também ouvissem,
Como se elas também sentissem o que diz o coração,
Viver intensamente da mais louca, à mais terna paixão

Amar é sentir o mundo parar nos  sonhos mais lindos
É sentir um doce desmaio que toma do corpo a alma
É sentir aquele fogo ardente que arde e não nos queima
É sentir uma efusiante euforia que deixa o corpo em chama

É assim que amo, tanto que sinto meus olhos brilharem
Sinto até o enebriante sabor dos beijos que ainda não dei
Sinto o corpo pedir, sinto a alma implorar total  entrega,
Amar é como viver em êxtase no mais belo sonho que sonhei.

Vivi dos anjos



quarta-feira, 14 de março de 2012

Eu, mulher

V ivo momentos, as vezes em homenagem a mim, mulher
I  ndo entre minhas alegrias e dores, como fazem todas as mulheres
V ou rompendo cercas, muros, amarras, como as mulheres fazem
I  sso é ser, é estar, é não ter medo de viver é bravamente ser mulher


D ou de mim o que achar que posso dar, por querer ou por prazer
O u faço do meu tempo janelas para sonhos, lindos devaneios, mas
S  ó entra neles entretanto, quem eu queira, quem eu permitir entrar


A mo como se o amor fosse uma poesia real, verdadeira e viva
N ão sei fingir meus sentimentos sejam eles dores ou amores
J  á não me importa os prazeres de momentos, se fazem tormentos
O viver é bem mais que apenas estar vivo. O viver é ser...
S er mulher feliz ou carente mas sempre ser GENTE.


Vivi dos Anjos
.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Essas mulheres...



Qual águia ousada que na montanha o bico bate
Para arrancá-lo e outro nascer
Com o bico novo, as velhas penas, arranca todas
Para mais bela e majestosa ela renascer!

Passa o tempo e o sofrimento para viver
Se faz pequeno pela conquista de outra vez voar
Imponente e bela mais fácil poder vencer
Novos caminhos e outros horizontes ela conhecer

Assim como a águia que recusa do destino a sorte,
E vai a luta, e sozinha até vence a morte
É a Mulher, que na vida, não há dor que não suporte!

Quem somos nós? Essas mulheres guerreiras puras?
Que lutamos, gritamos, não calamos para viver
Somos águias que jamais deixamos nos abater!

Vivi dos Anjos

Mãe e Mulher



Dentro da mulher
Que grita a dor que sente
A mãe silencia a dor que chora. 
Enquanto a mulher grita os carinhos
A mãe, do filho, carinhos implora.
Mas tudo se faz de vida, se faz além.
Além, muito além da mulher
Que esconde os segredos de mãe.
Porque ninguém é mãe sem antes ser mulher!
É no dia, na luta, na vida
Que a mulher se faz de mais forte.
É ela que luta pra mãe poder doar
E a mãe se faz mais aflita,
Quando tudo é menos do que ela quer dar.
Sofre a mãe, sofre a mulher...
Enquanto ninguém faz a diferença,
De quem é divina por ser só mulher.
Todos sabem dizer:
Que é a mulher que fez a vida nascer.
Que é a mãe que faz a criança crescer.
Mas poucos dizem:
Que Mãe e Mulher, fazem a vida viver!

Vivi dos Anjos

sábado, 10 de março de 2012

Nossos olhos falam...


Nossos olhos falam demais
Contam nossos segredos
Ai perdemos a paz...
Meus olhos brincando com os teus
Teus olhos brincando com os meus
Dizem coisas que não sabemos dizer
Depois, no meu corpo, correm alegres
Gritando vontades, gritando desejos
Me fazem tremer...
Meus olhos sorrindo
Procuram em teu corpo
Os prazeres da busca
Do sabor de teu gosto
Nossos olhos carinhosos demais
Se fazem inocentes, dengosos, carentes, 
Se fazem de gritos, de sonhos
De vontades ardentes.
Nossos olhos provocam demais
Se fazem inocentes
Nos roubando a paz
Nosso olhos falam demais.

Vivi dos Anjos


quarta-feira, 7 de março de 2012

Te amo como és



Eu?...  Eu te amo como és
Com os defeitos que tu tens
E não tento te mudar
Senão será outro em teu lugar.
Meu amor há de entender
Que só assim será você.
Te conheci e aprendi
Essa maneira de viver
Se é loucura ou razão
Quem poderia explicar
As coisas do coração?
Eu te amo como és,
Até nas brigas vou ti amar.
Entender o teu silêncio,
O teu jeito de olhar
Aprender os teus momentos
De sorrir ou de chorar.
Na verdade, só quero te amar
Não quero te mudar...
Eu te amo ... como és.

Vivi dos Anjos

Alma viajante




Não sei o que sinto,
Saudade, talvez, mas porquê?
De quem seria tão angustiante saudade?
Ó dor lascinante!
Faz do meu peito morada.
Grita, minha alma, teu desespero,
Chora que ti dou meu pranto, e ... vai.
Vai em busca do que não sei,
Talvez até mesmo em busca de mim.
Grita minha alma tua tristeza
E deixa que o eco desse grito
Fique no tempo
Como se o tempo não quisesse passar.
Ah! Minha alma viajante
Vencida por atroz cansaço,
Busca teus sonhos vencidos
Que os outros nascerão mortos,
Chora tua dor com minhas lágrimas
Que por estares sozinha como estás
Temos a liberdade de nos fazermos amantes

Vivi dos Anjos.

Sonhos e conquistas



Que seria de mim
Se sonhasse apenas sonhos possíveis
Se só a busca de sonhos impossíveis
Deixam rastros para as grandes conquistas?
Quero sonhar, mas sonhar sonhos
Possíveis e impossíveis.
Na busca dos sonhos possíveis
Chegarei a pequenas vitórias
Por serem apenas minhas,
Na busca do sonhos impossíveis
Chegarei mais longe,
Quero ser,  pelo menos, o começo
De um sonho impossível
Pois assim deixo o caminho
Mais perto do inédito
Sendo uma desbravadora do tempo...
...ou uma louca
Como são chamados aqueles
Que fazem dos sonhos possíveis
Pequenas conquistas
E dos sonhos impossíveis
Conquistas da humanidade

Vivi dos Anjos

segunda-feira, 5 de março de 2012

Eu sou a...



Eu? As vezes sou criança outras vezes sou mulher,
Posso ser imaginação ou uma verdade qualquer.
Posso ser uma lágrima triste quando a alegria está doente,
Posso ser um olhar perdido na beleza do poente.
Posso ser um sorriso alegre se a tristeza vai embora
Posso ser o pensamento que está pensando agora.
As vezes sou fingimento, outras vezes sou história,
Também posso ser alento no coração de quem chora.
Sou o beijo da chegada ou o adeus da despedida
As vezes eu choro a dor que pra tantos é descabida.
Sou o gorjeio do passarinho que canta solto no tempo
Sou a beleza da flor que se balança com o vento.
Sou a gargalhada da criança que não sabe por que ri
Sou o balde da esperança pelo que vivo e vivi
Sou a essência das essências de tudo que pode existir.
Sou o balsamo da alma curando chagas profundas,
Sou a canção que traz calma para almas moribundas.
Sou a beleza da vida, sou o retrato do além
Do além mar, além pensar, muito além do que muitos
Coitados, nem sonham imaginar.
Alguns já sabem quem sou, outros jamais saberão
Por que talvez nunca entre em seu pobre coração.
Existo em cada pedaço de um universo qualquer,
Canto tristezas e sonhos, canto pranto e alegria
Sou de todos que me querem. Sou a tua ... POESIA.


Vivi dos Anjos

domingo, 4 de março de 2012

Tua partida






Desde há muito em mim e agora mais ainda
Perdida a vontade de rever o que já fui
Tua partida, minha doce e terna sombra
Me faz sentir o que a alma já não possui

Teu afago de menino homem, doce anjo
Que sem adeus procurou horizontes para ir
Fiquei deitada na saudade que deixaste,
E na tristeza que contigo não levaste

Ser mulher agora, pergunto? Que me importa?
Se já sei que amar é nunca mais saber sorrir
E nem sonhar mais os sonhos que vivi

Quando me abraçavas e meu corpo ao teu  fazia
Apenas um corpo, uma alma, uma alegria
Vai amor, vou brincar de viver esta agora fantasia.

Vivi dos Anjos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...